Carnaval 2010: Leandro faz desfile conturbado

SÃO PAULO - Os 3.500 integrantes da Leandro de Itaquera, segunda escola a desfilar no Sambódromo do Anhembi, respiraram aliviados ao final do desfile.

Agência Estado |

A agremiação encerrou sua apresentação após 65 minutos cravados, o tempo máximo permitido pelo regulamento do carnaval paulista. Mas para isso, as últimas alas e carros alegóricos tiveram que correr na passarela, o que prejudicou a evolução da escola. Alguns carros alegóricos apresentaram problemas durante o desfile. Nervoso, o presidente Leandro Alves Martins, o "Seu Leandro", passou mal nos momentos finais e teve de ser atendido por uma ambulância. Já na dispersão ele contou ter sentido uma tontura forte. "Estou muito cansado, mas já melhorei", disse.

Houve problemas com o som do Sambódromo, que falhou por volta da uma da madrugada, mas foi logo restabelecido. Outro incidente, quando o desfile já havia terminado, também esquentou os ânimos entre alguns participantes. A madrinha da bateria e ex-BBB, Iris Stefanelli, que chegou atrasada à passarela do samba, se desentendeu com uma integrante da escola. Ela não quis falar sobre o incidente. Apressada, disse que tinha de voltar para o hotel onde está hospedada.

O desfile da Leandro, que trouxe a cantora Sandra de Sá como intérprete oficial, não empolgou o público, com exceção do carro abre alas. Com 35 casais em trajes íntimos e poses sensuais, a performance arrancou aplausos e gritos ao passar, principalmente da plateia feminina. "Acho que agradamos", disse Aline Mirosedic, uma das integrantes da alegoria. "Foi emocionante". Partes das arquibancadas, principalmente no início e no final do sambódromo, estavam vazias, o que ajuda a explicar o clima um tanto frio do desfile. Os integrantes da escola, contudo, tinham na ponta da língua do samba "Sob um manto de amor e paz, sou Leandro de Itaquera desfilando o vermelho e branco no meu carnaval". Quando o som falhou, a escola cantava a letra com força.

Em que pese os problemas da Leandro, Sandra de Sá estava feliz após o desfile. "Acabei de me curar", disse, referindo-se a uma diverticulite que tratou recentemente. "Quero voltar todos os anos", afirmou entre sorridente e cansada. Viviane Santos, que estreou como rainha da bateria neste ano, foi outra integrante da Leandro também feliz e satisfeita com o desempenho da agremiação. "A escola sempre mata a gente de susto, mas felizmente deu tudo certo no final", disse, referindo-se ao tempo máximo realizado pela escola.

O desfile da Leandro de Itaquera foi dividido em 28 alas temáticas e cinco carros alegóricos, com o vermelho e branco como cores predominantes. A intenção foi celebrar as grandes festas populares do Brasil e do mundo, como o Réveillon, o festival de Parintins e o carnaval do Salgueiro, escola do coração de seu Leandro.

    Leia tudo sobre: leandro de itaquerasão paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG