Carnaval 2010: Ingresso no Rio é disputado por quatro

O coordenador-geral de vendas da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Heron Schneider, disse hoje que, para cada quatro pessoas que procuram ingressos para ver os desfiles das escolas do Grupo Especial, somente uma consegue. Foram disponibilizados 62 mil para cada noite.

Agência Estado |

"Além disso, o que me surpreendeu positivamente foi a velocidade das vendas: só sobraram 200 entradas para a arquibancada número 9", afirmou.

A venda dos ingressos - os mais caros, sem contar os camarotes - será na segunda-feira, ao preço unitário de R$ 550. O camarote, para 20 pessoas, sai por R$ 52 mil.

Amanhã, às 9 horas, estarão disponíveis, por R$ 10, 32 mil ingressos populares, 16 mil para cada noite nos setores 6 e 13. Schneider destaca que a venda será feita apenas no Rio e a previsão é de que as entradas se esgotem em um período de 40 a 50 minutos. Os interessados devem garantir os ingressos pelos telefones (21)2125-0006 (para o setor 6) e (21)2125-0013 (para o setor 13) e buscá-los no domingo.

Schneider afirmou ainda que a comercialização dos 62 mil ingressos para o Sábado das Campeãs, no dia 20, também está com grande procura. Segundo ele, mais de 60% das entradas para a arquibancada já foram vendidas. "No ano passado, eu ia vender 50% só depois do resultado." O coordenador destaca a busca por ingressos na frisa (próximo da pista): há apenas 40, todos no setor 4 (para seis pessoas), cujo ingresso mais barato custa R$ 1.850. Os demais 960 frisas já foram vendidos.

Uma pesquisa da Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (RioTur) justifica a grande procura. O levantamento apontou que 98% das pessoas que assistiram ao vivo ao desfile aprovaram o evento com louvor e disseram recomendar a experiência para parentes e amigos. Mais de 90% dos entrevistados afirmaram estar vindo à Sapucaí pela terceira vez. "O Carnaval do Rio está cada vez mais grandioso, é um grande espetáculo. A pessoa vê na TV e no outro ano quer ver ao vivo", explicou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG