Carnaval 2010: Imperatriz usa fé para falar de paz

A Imperatriz Leopoldinense entra na Sapucaí com outra intenção além de fazer festa e tentar faturar o nono título do Grupo Especial do Carnaval do Rio. A ideia é fazer um manifesto pela paz.

Agência Estado |

E para isso, a agremiação do bairro de Ramos, da zona norte, escolheu levar para a avenida um aspecto muito evidente na sociedade brasileira: a fé. O samba de enredo "Brasil de todos os Deuses" usa as diversas religiões que compõem o mosaico espiritual do Brasil para passar a mensagem.

A surpresa ficará por conta da "nova cara" da Imperatriz. O carnavalesco é uma velho conhecido: Max Lopez, que já teve uma passagem vitoriosa pela escola em 1989, com "Liberdade, Liberdade, Abre as Asas sobre Nós". Ele substitui Rosa Magalhães após uma parceria de 18 anos. Mas o diretor de Carnaval, Wagner Tavares de Araújo, não associa a troca aos resultados ruins. "Com a Rosa tanto obtivemos um sétimo lugar (no ano passado) como conquistamos cinco títulos", afirma. Dentre as conquistas, está o tricampeonato de 1999, 2000 e 2001. "O desgaste é natural. Podemos dizer que foi um casamento que se desgastou", conta.

De acordo com ele, Max preparou um desfile de quase R$ 5 milhões, "muito grande, de alegorias enormes, e fantasias volumosas". "Temos um bom tema e um ótimo samba, considerado por muitos como um dos grandes sambas deste ano, e que vai ficar marcado na história do carnaval." As 47 alas e oito alegorias (mais um quadripé) trarão para o sambódromo do Rio os mistérios do islamismo, do budismo, do judaísmo, do cristianismo e das crenças indígenas. E o desfile termina com uma grande ovação às romarias.

Os famosos que irão desfilar pela Imperatriz já são tradicionais na escola: Luiza Brunet (Rainha de Bateria) e o cantor Elymar Santos. Araújo torce o nariz para a invasão de celebridades nas agremiações. "É uma tentativa de transformar as escolas de samba em um festival de bundas e peitos. Tem celebridade que tem seis meses de fama e já sai tirando a roupa, relegando o que há de cultural no carnaval para trás", desabafa. "Revolta às vezes ver uma coisa dessas tão descaracterizada."

Confira a letra do samba da Imperatriz Leopoldinense:

Terra abençoada!
Morada divinal
Brilha a coroa sagrada
Reina tupã, no carnaval...
Viu nascer a devoção em cada amanhecer
Viu brilhar a imensidão de cada olhar
Num país da cor da miscigenação
De tanto deus, tanta religião
Pro povo, feliz, cultuar

O índio dançou, em adoração
O branco rezou na cruz do cristão
O negro louvou os seus orixás
A luz de deus é a chama da paz

E sob as bênçãos do céu
E o véu do luar
Navegaram imigrantes
De tão distante, pra semear
Traços de tradições, laços das religiões
Oh, deus pai! iluminai o novo dia
Guiai ao divino destino
Seus peregrinos em harmonia
A fé enche a vida de esperança
Na infinita aliança
Traz confiança ao caminhar
E a gente romeira, valente e festeira
Segue a acreditar...

A imperatriz é um mar de fiéis
No altar do samba, em oração
É o Brasil de todos os deuses!
De paz, amor e união...

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG