Carnaval 2010: hits do axé têm estratégia de marketing

As estrelas da axé music começam a apresentar, já no final do ano, suas apostas para a edição seguinte do carnaval. A empolgação contagia os turistas e as músicas passam a ser tocadas no resto do País, garantindo o sucesso do intérprete.

Agência Estado |

Para aumentar a exposição, grandes bandas investem em novidades. O Asa de Águia, por exemplo, lançou a Vale-Night junto com uma campanha na qual namoradas e esposas são incentivadas a "liberarem" os companheiros por uma noite da festa. Com a ação, a banda de Durval Lélys esperava reeditar o sucesso de 2007, com "Quebra Aê".

Ivete Sangalo apostou na volta da moda das "coreografias de braço" para emplacar "Na Base do Beijo" e repetir o frisson que "Cadê Dalila?" causou no carnaval do ano passado. Todas tiveram boa aceitação, mas acabaram ofuscadas. Apontado como o grande hit do carnaval, "Rebolation', do Parangolé, é apenas a primeira composição de Léo Santana, de 21 anos, vocalista do grupo. "Pegou porque é fácil e gostosa de dançar", diz Léo. A canção chegou à disputa presidencial. Tanto a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, quanto o governador paulista, José Serra, disseram que treinariam a dancinha.

Com a aceitação de artistas mais conhecidos, músicas de bandas menores ganham projeção. Há dois anos, Ivete ajudou o Psirico a fazer sucesso com "Mulher Brasileira (Toda Boa)", a mais tocada no carnaval de 2008. Este ano, ela voltou a bancar a madrinha, ao "adotar" Lobo Mau, de O Báck. A música chamou ainda mais atenção porque alguns artistas alegaram que a letra promove a pedofilia. Resultado: os irmãos Keno, Bombado e Pisquila, que se apresentavam duas vezes por mês, estão com 30 shows marcados para as semanas seguintes à folia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG