Carnaval 2010: 1,5 mi acompanham Galo da Madrugada

Três gerações, uma só paixão: o Clube de Máscaras Galo da Madrugada. Repetindo uma tradição que já dura 20 anos, Maria do Carmo Lira, 68; Marluce Lira, 48 e Lia Lira, 28 chegaram nas primeiras horas de hoje à concentração do maior bloco carnavalesco de rua do mundo, que desfila pelo 33º ano consecutivo pelas ruas centrais do Recife.

Agência Estado |

Juntas, avó, mãe e filha, fantasiadas de borboletas, não escondiam a alegria de brincar no bloco que, desde o ano passado, ganhou o título de Patrimônio Cultural e Imaterial de Pernambuco. "Este ano, nossa tradição ganhou um sentido ainda maior. No ano passado, minha neta sofreu um acidente de trânsito e ficou muito ferida. Aqui, estamos comemorando sua recuperação total, sua volta à alegria de viver", contou Maria do Carmo.

Assim como o trio, milhares de foliões, entre turistas e moradores da cidade, acompanharam a saída do Galo. Em 2010, o bloco desfilou com 25 trios elétricos e 5 carros alegóricos e fez uma homenagem à diversidade cultural de Pernambuco. Com o tema "Galo: Pernambuco de todos os Carnavais", a agremiação caprichou nas alegorias. Um dos carros que mais chamou a atenção dos foliões foi o abre-alas.

Com uma cabeça de galo giratória - com mais de 10 metros de altura - o carro alegórico puxava dezenas de esculturas que faziam referência a todos os outros desfiles do bloco e as manifestações culturais do carnaval pernambucano, como Caboclinhos, Caiporas, Papangus, Caretas, Maracatus e o Cavalo Marinho. Comandando o carro, o cantor pernambucano Gustavo Travassos e a cantora paraense, Fafá de Belém, cantavam alguns dos principais hinos da folia de Momo.

No chão, nas dezenas de camarotes espalhados pelos 5 quilômetros do percurso, em cima dos trios elétricos ou pendurados nas sacadas, janelas ou muros de prédios residenciais e comerciais, os foliões participavam ativamente da festa, cantando, pulando ou simplesmente colorindo o desfile com suas fantasias. Gente como psicóloga Laura Gomes, que decidiu comemorar os 35 anos no Galo. "É a décima vez que venho ao desfilo no bloco. Vim com um grupo de amigos e está sendo muito especial. Afinal, não é todo dia que podemos cantar parabéns do lado de milhares de pessoas", lembrou. Vestida com uma camiseta com os dizeres: Hoje é meu aniversário. Cadê o meu presente?, a folia ganhou muitos beijos e abraços de desconhecidos.

Outro grupo que ganhou a atenção estava em um camarote na praça Sérgio Loreto, na concentração do bloco. Vestidos de guerreiros vikings, 30 suecos caprichavam na interpretação. Durante a passagem de um dos primeiros trios elétricos, um dos turistas pulou para dentro do veículo e dançou, numa coreografia improvisada, mas muito aplaudida, o frevo Vassourinhas, um dos principais hinos do carnaval pernambucano. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 1,5 milhão de pessoas acompanharam o desfile do Galo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG