A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reprovou ontem a qualidade das frutas, legumes e verduras que compõem o cardápio do brasileiro. A análise de 1.

773 amostras colhidas em supermercados do País mostrou que boa parte chega à mesa da população com índices inadequados de agrotóxicos. Os alimentos que apresentaram mais irregularidades foram o pimentão (64% das amostras com alguma irregularidade) e o morango (36%).

Ao todo, foram 17 tipos de hortifrútis monitorados, selecionados por serem recorrentes na dieta da população. Foi encontrado excesso de agrotóxicos na batata, feijão, laranja, maçã, morango, pimentão, tomate e uva. Nos outros tipos (cenoura, cebola, alface, abacaxi, repolho, arroz, banana e manga) o problema foi o uso de veneno não autorizado para aquele tipo de cultura, o que também coloca em risco o alimento.

Do total, 11 produtos tiveram mais do que 4% das amostras reprovadas, o que supera o padrão seguro estipulado pela indústria internacional. Em alguns casos, como no abacaxi, até pesticidas proibidos no Brasil foram encontrados. Além de agroquímicos banidos em território nacional, a Anvisa informou que foram encontrados altos índices de agrotóxicos extremamente nocivos que têm uso proibido em vários países e passam por processo de análise no Brasil para determinar se a comercialização deles continua ou não permitida.

Segundo os especialistas, os agrotóxicos em excesso são prejudiciais, especialmente para os trabalhadores do campo. A superexposição a que estão sujeitos pode ter efeito cancerígeno e provocar sequelas graves como má formação fetal, problemas de pele e danos ao pulmão. Nos consumidores, as consequências são menores. Sérgio Graff, médico toxicologista da Unifesp, diz que os efeitos tóxicos seriam provocados após longo tempo de consumo de alimentos contaminados. As informações são do Jornal da Tarde .

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.