Capitão do barco não poderia comandar embarcação que naufragou em SC

FLORIANÓPOLIS - A única pessoa com conhecimentos mínimos de navegação no barco de pesca ¿Anjo de Luz¿, que naufragou no último sábado, não estava autorizada a comandar embarcações do tipo da que afundou, segundo a Capitania dos Portos de Itajaí, em Santa Catarina, onde ocorreu o naufrágio. Homens do Corpo de Bombeiros da cidade continuam as buscas pelo desaparecido do acidente que deixou cinco mortos. Dois sobreviveram.

Redação |

Ainda segundo a Capitania, a Anjo de Luz estava devidamente registrada, mas não poderia transportar passageiros.

As buscas estão sendo realizadas pelo Navio Balizador Mario Seixas, uma embarcação da Delegacia da Capitania dos Portos e uma aeronave da Marinha, além de aeronaves e barcos de apoio do Corpo de Bombeiros.

O acidente

A Capitania informou que o último contato dos ocupantes do barco aconteceu às 21h10, em uma ligação de celular em que as famílias foram avisadas de que a embarcação estava naufragando e que todos estavam abandonando o barco com seus coletes. As buscas foram feitas pela madrugada. As condições climáticas não contribuíram de maneira decisiva ao acidente, já que o tempo era bom, informou a nota.

AE
Uma pessoa segue desaparecida após naufrágio de barco de pesca

No domingo, as buscas se intensificaram. Dois sobreviventes e cinco corpos foram encontrados. Os tripulantes portavam coletes e, segundo a Capitania, o tripulante ainda desaparecido também vestira seu colete no momento do acidente.

Leia mais sobre: naufrágio

    Leia tudo sobre: naufrágio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG