Candidatos usam 1º de Maio como palanque em SP

Em ano eleitoral, os três principais pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo marcaram presença ontem nos eventos de comemoração do Dia do Trabalho na capital paulista. A ministra do Turismo, Marta Suplicy (PT), foi mais animada que seus adversários, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), e apareceu às duas maiores festas - a da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a da Força Sindical.

Agência Estado |

O primeiro a aparecer no Autódromo de Interlagos, onde estava instalado o palco da CUT, foi Kassab, que tenta a reeleição. Ele evitou, contudo, o ato político dos petistas marcado para a tarde. Horas depois, Marta, que ainda não oficializou a candidatura, participaria do evento. Pela manhã, a ministra foi recebida com vaias na festa da Força Sindical. O protesto do público começou assim que ela foi anunciada pelo presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP). “Um pequeno grupo vaiou. Muita gente aplaudiu. Não dá para ir a uma reunião desse porte e não ter algumas pessoas que vaiam”, minimizou Marta.

Kassab explicou que não foi ao evento organizado pela Força por “respeito”. “Apenas para não constranger o PDT, que através de seus dirigentes há algumas semanas se afastou do nosso governo. E os dirigentes da Força Sindical são dirigentes do PDT. Então, da minha parte, foi uma demonstração de respeito”, argumentou. Paulinho disse, no entanto, que não convidara o prefeito. “Ele não tem sido bom com os trabalhadores”, criticou.

Alckmin, que briga dentro do PSDB para ter a candidatura lançada na segunda-feira, escolheu um evento mais discreto, em Ermelino Matarazzo, periferia da zona leste da capital, para comemorar o 1º de Maio. O tucano evitou alimentar intrigas dentro do partido e disse que não há atrito na sua relação com Kassab. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG