Candidatos a presidente da Câmara intensificam campanha

A quatro dias da sucessão da presidência da Câmara, os candidatos intensificam a campanha com a crescente chegada de deputados a Brasília para a eleição de segunda-feira. O deputado Michel Temer (PMDB-SP) trabalha para se manter como favorito, posição que assumiu com o apoio de 14 partidos políticos que formaram um bloco parlamentar.

Agência Estado |

A articulação pró-Temer resultou na divisão dos demais cargos da Mesa entre esses partidos e está gerando descontentamento entre parlamentares.

Essa insatisfação deverá provocar um número elevado de candidatos avulsos, ou seja, deputados que se rebelam contra suas lideranças e entram na disputa contra o indicado oficial do partido. A Mesa Diretora é composta por sete membros titulares e quatro suplentes. Apontado como principal adversário de Temer, o deputado Ciro Nogueira (PP-PI) está desde as 8 horas percorrendo gabinetes na Câmara, uma rotina que tem repetido nos últimos dias.

Nogueira considera que já há votos suficientes para chegar ao segundo turno. Ele afirmou que há "uma onda" favorável ao crescimento de seu nome. "Ser preparem para uma grande surpresa", afirmou. Nesta quinta-feira, a Câmara amanheceu com espelhos espalhados pelos principais pontos de circulação com os seguintes dizeres: "Vote Ciro e veja quem vai mandar na Câmara", uma peça da campanha de Ciro Nogueira. Ele tem insistido que, caso eleito, cada deputado será ouvido e terá vez na Casa.

Os candidatos Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e Osmar Serraglio (PMDB-PR) tentam aumentar seus votos. O apoio de Serraglio, segundo interlocutores do candidato, está principalmente entre peemedebistas insatisfeitos com a centralização das decisões do partido na cúpula. Serraglio diz que tem suas vantagens. "Não sou expoente no partido e não atraio a rejeição da força partidária. Além disso, sou do partido majoritário que não poderá ficar fora da Mesa", avaliou Serraglio. Para montar a chapa, Temer cedeu cargos que seriam do partido para as outras legendas que o apoiam.

Os aliados de Temer calculam que o deputado tem mais de 300 votos, suficientes para garantir a sua eleição em primeiro turno. Os dados são contestados pelas equipes dos adversários de Temer. Na conta deles, os três já somariam 323 votos. Desse total, 203 seriam para Ciro, 90 para Rebelo e 30 para Serraglio.

Votação

A sessão na Câmara terá início às 10h de segunda-feira. A eleição está marcada para começar ao meio dia. As nove urnas eletrônicas que serão usadas na eleição secreta já foram instaladas no plenário. A previsão é que cada deputado leve, em média, 2 minutos para votar nos 11 cargos. Em caso de segundo turno, ele será realizado imediatamente após o primeiro resultado. A previsão é que o novo presidente da Câmara seja conhecido até as 16h de segunda-feira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG