Candidatos à prefeitura de BH devem gastar até R$ 50 mi

Os nove candidatos à prefeitura de Belo Horizonte que protocolaram registro no Foro Eleitoral da capital prevêem um total de gastos durante a campanha de até R$ 50,080 milhões, conforme dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Apoiada pelo governador Aécio Neves (PSDB) e pelo prefeito Fernando Pimentel (PT), a coligação Aliança por BH, encabeçada por Márcio Lacerda (PSB), tendo Roberto Carvalho (PT) como candidato vice, foi a que informou o maior limite de gastos: R$ 14 milhões.

Agência Estado |

O valor representa mais de três vezes os R$ 4,3 milhões gastos por Pimentel na campanha vitoriosa de 2004.

A segunda maior previsão de gastos na campanha foi feita pela coligação PMDB-PHS. A chapa, que conta com o peemedebista Leonardo Quintão como candidato a prefeito, informou gastos de até R$ 10 milhões. De acordo com o TRE, o mesmo valor em investimento máximo foi declarado pelo candidato da coligação PRTB-PSDC, Jorge Periquito (PRTB). A coligação PC do B-PRB, encabeçada pela candidata Jô Moraes (PC do B), informou que poderá gastar até R$ 7 milhões na campanha.

Os candidatos Sérgio Miranda (PDT) e Gustavo Valadares (DEM) registraram, respectivamente, limites de gastos de R$ 4 milhões e R$ 3 milhões. A candidatura de André Antônio Alves (PT do B) informou que irá desembolsar até R$ 2 milhões durante a campanha. Destoando das previsões milionárias dos adversários, os candidatos da coligação PSTU-PSOL, Vanessa Portugal (PSTU), e do PCO, Pedro Paulo de Abreu, informaram gastos bem mais modestos. Vanessa declarou investimentos de até R$ 50 mil, e Abreu Pinheiro, de R$ 30 mil.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG