Candidata à prefeitura é baleada no Paraná

A candidata a prefeita de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, Tuca Cartário (PDT), de 40 anos, recebeu um tiro no ombro que por pouco não atingiu o pescoço na noite de ontem, quando retornava para casa após participar de uma reunião de campanha. Hoje de manhã, ela ainda permanecia internada em um hospital de Curitiba, mas não corria riscos.

Agência Estado |

A Polícia Civil investiga a ocorrência.

Filha do deputado estadual Geraldo Cartário, esta é a primeira vez que ela se candidatou a cargo eletivo. Cartário disse que vai esperar as investigações e a alta da filha do hospital para decidir a continuidade da campanha. "Se for provado que o objetivo era matá-la, não tem mais como continuar", afirmou. O delegado Rogério Antônio Haisi disse que ainda não poderia adiantar quais as motivações do crime. "Pode ser tanto tentativa de homicídio ou uma tentativa de seqüestro mal sucedida", afirmou. "A família é de pessoas influentes."

Segundo ele, na delegacia não há qualquer registro de que ela tivesse recebido ameaças e também nenhuma informação sobre qualquer desavença ou conflito. Pelas informações, o carro em que ela estava foi parado por uma camionete preta. O pai afirmou que foram disparados tiros e um policial militar amigo da família, que não estava fardado por estar dia de folga, mas acompanhava a candidata dentro do carro, revidou os tiros, fazendo com que os ocupantes do outro veículo fugissem. O policial e uma assessora de Tuca, que também estava no carro, ainda não foram ouvidos pela polícia.

Este é o segundo caso de ação violenta na campanha eleitoral em municípios da região metropolitana de Curitiba. Na segunda-feira da semana passada, dois homens invadiram uma reunião de candidatos do PSB em Campina Grande do Sul e dispararam tiros. O candidato a prefeito Luiz Carlos Assunção pulou uma janela e acabou deslocando a bacia. A polícia prendeu dois acusados e descartou a hipótese de atentado político. Pelas investigações, eles estariam interessados em roubar dinheiro destinado à campanha.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG