O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que tem audiência marcada hoje com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), afirmou que a concessão de qualquer nova isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para setores da economia pelo governo criará um problema político com os Estados, por causa da perda de arrecadação. Nós temos compreensão, mas já perdemos muito, declarou Campos.

Ele defendeu o ponto de vista de que a concessão de qualquer nova isenção não pode atingir a parte do Imposto de Renda e do IPI que é compartilhada pela União com Estados e municípios. "É injusto. Com essa renúncia fiscal, já ajudamos a indústria automobilística, que está em São Paulo, e a indústria de motos, na Zona Franca. É preciso dar isenção, mas não na base compartilhada. Há outros tributos."

No encontro que terá com Lula, Campos apresentará proposta de criação de uma linha de financiamento para obras nos Estados, dentro do limite possível de endividamento previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O governador disse que não defende mudanças na rolagem das dívidas dos Estados, porque é um tema muito complicado. "Precisamos de uma linha rápida de financiamento para investir em obras e gerar trabalho", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.