Campo Grande registra resistência de mosquito a veneno

O inseticida AQUA Kotrine, recomendado pelo Ministério da Saúde, não está matando o mosquito adulto que transmite a dengue, em Campo Grande. A informação é do coordenador do Serviço de Controle de Vetores da Prefeitura Municipal de Campo Grande, Alcides Ferreira.

Agência Estado |

Ele explicou que os técnicos responsáveis pelo preparo do composto, estão reclamando da resistência e do aumento da propagação da espécie. "A recomendação da Organização Mundial de Saúde, é de 1% de tolerância. Existem bairros na capital que chega a 3,3%".

Segundo afirmou, a partir de amanhã voltará a pulverizar a cidade com o velho e mal cheiroso Malation. "Há pelos menos 5 anos, não aplicamos Malation, porque uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde descobriu que não era mais um inseticida. O forte cheiro foi amenizado com algumas misturas, entre elas o óleo de soja eficiente. Com essa mudança, mais 550 homens na pulverização além de 1.200 agentes de saúde na prevenção de novos focos, a situação deve melhorar".

Outras duas observações foram feitas pelos técnicos, uma delas é o fato de que a eclosão das larvas está acontecendo mais rapidamente, porém ainda não existe o calculo sobre tempo exato. "Acreditamos que em algumas horas, talvez de oito a dez horas, as larvas aparecem". A outra é que não há mais preferência das fêmeas para desovar em água limpa, "basta existir água parada em garrafas, latas, pneus velhos e outros objetos".

Para Ferreira, vários fatores têm contribuído para o aumento dos focos de dengue em Campo Grande. "Independente dos fatores mais transparente, caso a população cuidasse da prevenção, não estaríamos nessa situação. Terrenos baldios sujos, imóveis fechados entre outros obstáculos agravam o quadro da dengue".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG