A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo vai realizar a partir de segunda-feira a 1ª Semana da Esquistossomose. O objetivo é orientar a população e realizar cerca de 20 mil exames para detectar e tratar a doença na população em todo Estado.

Segundo a pasta, os municípios paulistas vão distribuir um milhão de panfletos, além de 10 mil cartazes e 10 mil folhetos, com informações sobre a doença, principais sintomas, formas de contágio e dicas de prevenção.

O material será entregue nos postos de saúde e em escolas. As Unidades Básicas de Saúde vão atender à população para detectar possíveis casos de esquistossomose. Além disso, postos de saúde vão realizar cerca de 5 mil exames de sangue, que permitem a identificação de infecções mais antigas, normalmente não detectadas no exame de fezes. Uma consulta médica será agendada, em caso de necessidade. Os pacientes diagnosticados com a doença serão tratados gratuitamente com prescrição de um antiparasitário.

A esquistossomose é uma doença causada pelo parasita Schistosoma mansoni , após o contato com água contaminada. Os primeiros sintomas, que podem passar despercebidos, são coceira intensa e vermelhidão. Depois podem aparecer febre, diarreia e dores musculares. A doença evolui de forma prolongada e pode se tornar grave, causando incapacitação de órgãos como intestino, fígado, baço, pulmão ou sistema nervoso. Alguns casos podem levar à morte. Em 2008 foram registrados no Estado 89 casos de esquistossomose com transmissão local (autóctones) e outros 1.292 importados de outros Estados. A secretaria afirma que o número de casos vem diminuindo a cada ano.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.