Caminhoneiros autônomos suspendem paralisação nacional

SÃO PAULO (Reuters) - A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) decidiu suspender nesta quinta-feira a paralisação nacional dos autônomos, iniciada na véspera, devido à falta de adesão em todo o país. Decidimos a partir do meio-dia de hoje (quinta-feira) suspender o movimento e ficar em estado de greve. Podemos voltar a qualquer momento, explicou o presidente da Abcam, José da Fonseca Lopes.

Reuters |

'Porque quem estava parado começou a perceber que em outros lugares o pessoal não aderiu dentro da expectativa. Estamos revendo essa situação e vamos reformular algumas coisas, para voltar ao ataque', completou.

Segundo ele, a adesão em todo o país foi de cerca de 150 mil caminhoneiros, a maioria em Santos (SP), Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Belém (PA), Três Rios (RJ) e Três Lagoas (MS).

Fonseca calcula a frota de caminhões autônomos em 1 milhão de unidades, ou a metade do total da frota nacional.

A paralisação foi realizada, entre outros motivos, contra a falta de repasse do aumento do óleo diesel para o valor do frete e contra o rodízio de caminhões na cidade de São Paulo, previsto para começar no final do mês.

A paralisação não chegou a ter reflexos no mercado -- nos portos de Santos e Paranaguá não havia registros de atrasos ou qualquer outro efeito, segundo as assessorias dos portos.

(Por Camila Moreira)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG