PORTO ALEGRE - Um caminhoneiro de 39 anos morreu, nesta segunda-feira, com suspeita de gripe suína (rebatizada http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/04/30/oms+decide+mudar+nome+da+gripe+suina+5867916.html target=_topde gripe A H1N1), em São Borja, no Rio Grande do Sul, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

De acordo com o órgão, os familiares da vítima estão sendo monitorados por equipes de saúde, e os resultados dos exames dos que também apresentam sintomas da gripe devem sair em uma semana.

Primeira morte

Em junho foi registrado o primeiro caso de morte causada por "gripe suína" no País. Segundo a secretaria, o caminhoneiro de 29 anos apresentou os primeiros sintomas ainda na Argentina e só procurou atendimento médico no dia 20 de junho no Hospital Santa Terezinha. Depois, foi transferido para o Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo, onde morreu.

O corpo da primeira vítima fatal da doença no País, que esteve em Buenos Aires entre os dias 28 de maio e 15 de junho, foi sepultado em Erechim, no Rio Grande do Sul.

Vacina

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou nesta segunda-feira que a vacina contra o vírus da "gripe suína" não deve ficar pronta para uso em larga escala antes de novembro.

A expectativa é que tenhamos ainda no segundo semestre. Mas a vacina precisa ser produzida, testada em seres-humanos, para ter sua segurança comprovada, e somente depois poderá ser liberada para uso em larga escala. Eu diria que é pouco provável que antes de novembro teremos a vacina, afirmou.

Segundo o Ministério da Saúde, o total de casos de "gripe suína" no Brasil é de 905. O Estado de São Paulo registra o maior número de infectados (402), seguido do Rio Grande do Sul (111), Rio de Janeiro (91), de Minas Gerais (90) e do Distrito Federal (31).

Leia mais sobre gripe suína

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.