Câmeras da prefeitura irão ajudar polícia a desvendar morte de vereador no Rio

RIO DE JANEIRO ¿ A polícia irá utilizar as imagens das câmeras da Prefeitura do Rio instaladas na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, para esclarecer a morte do vereador Alberto Salles (PSC), de 36 anos. O parlamentar morreu no início da tarde desta terça-feira após ser atingido na via por três tiros na cabeça dentro do seu carro.

Redação |

Acordo Ortográfico

De acordo com a 16ª (Barra da Tijuca), que investiga o caso, três testemunhas prestaram depoimento nesta terça-feira. Segundo elas, os disparos contra o carro de Salles foram feitos por homens em uma moto e um carro de passeio.

O vereador estava em seu veículo oficial, com o motorista José Natalino da Silva, quando foi interceptado pelos criminosos. O motorista foi

Divulgação

Salles foi atingido por três tiros na cabeça

atingido por um tiro no tórax. Os dois foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, mas Silva não precisou ser operado. Segundo informações da unidade, os médicos constataram que nenhum órgão do motorista foi perfurado com o tiro e a bala não ficou alojada em seu corpo.

A polícia descartou a hipótese de tentativa de assalto e acredita que Salles tenha sido vítima de um atentado. O vereador, durante o período eleitoral, havia anunciado ter recebido ameaças de traficantes ao fazer campanha na Favela Mundial, em Honório Gurgel, na zona norte do Rio. A polícia, no entanto, ainda não sabe informar se há ligação entre o crime e as eleições.

Salles estava no segundo mandato e não se reelegeu. Ele obteve 8.126 votos na última eleição.

Leia mais sobre: violência

    Leia tudo sobre: assassinatoriosallestirovereadorviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG