SÃO PAULO (Reuters) - O dólar encerrou os negócios desta terça-feira em alta, interrompendo uma sequência de cinco sessões de desvalorização frente ao real, a mais longa desde abril de 2008, impulsionado pelo nervosismo dos mercados acionários sobre os pacotes de estímulo econômico e ajuda ao sistema bancário dos Estados Unidos. A moeda norte-americana fechou cotada a 2,284 reais para venda, na máxima do dia, em alta de 2,06 por cento, após ter caído nas últimas cinco sessões. Em abril do ano passado, o dólar exibiu oito quedas seguidas.

Luis Piason, gerente de operações de câmbio da Corretora Concórdia, apontou que a "correção técnica" do dólar em relação às baixas dos últimos dias foi estimulada pela forte queda das bolsas de valores.

O principal índice de ações da Bovespa, o Ibovespa, recuava quase 2 por cento, seguindo os mercados de Wall Street que derretiam em torno de 4 por cento, refletindo as incertezas dos investidores sobre a eficácia das atuações do governo dos Estados Unidos para combater a crise econômica.

Nesta terça-feira, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos divulgou um pacote reformulado para o resgate do setor financeiro, para retirar até 500 bilhões de dólares em ativos podres dos balanços dos bancos.

Além disso, o Senado aprovou sua versão do pacote de estímulo econômico, no valor de 838 bilhões de dólares. Agora, serão iniciadas discussões no Congresso para que haja conciliação entre essa proposta e a da Câmara dos Deputados, aprovada há quase duas semanas. Para ver mais detalhes, clique

No Brasil, o Banco Central anunciou que ofertará na quarta-feira até 1 bilhão de dólares em um leilão de venda de dólares para o financiamento do comércio exterior. As propostas serão acolhidas entre 14h45 e 15h15 e o resultado será divulgado ao longo da sessão.

(Reportagem de José de Castro; Edição de Renato Andrade)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.