Câmara rejeita porte de arma para guardas municipais fora de serviço

BRASÍLIA - O plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, na noite desta terça-feita, por 213 votos a 177, destaques à Medida Provisória 417, de 2008, apresentados pelo partido Democratas (DEM) e pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), que visavam estender aos guardas municipais e aos agentes penitenciários o porte de armas fora do trabalho.

Agência Brasil |

A MP, aprovada mais cedo, prorroga até 31 de dezembro de 2008 o prazo para renovar o registro estadual de propriedade de arma de fogo perante a Polícia Federal.

Os parlamentares também decidiram manter em R$ 1 mil o valor da taxa para renovação do documento de porte de arma, ao rejeitarem proposta do DEM de redução da cobrança para R$ 100.

Leia mais sobre: arma de fogo

    Leia tudo sobre: arma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG