Câmara do Distrito Federal cria CPI da corrupção

BRASÍLIA (Reuters) - A Câmara Legislativa do Distrito Federal criou nesta quarta-feira uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar práticas de corrupção em desde contratos do governo do DF com empresas até o pagamento de propina a base aliada. A CPI vai investigar atos desde 1991, o que inclui, além da gestão do governador José Roberto Arruda (DEM), as de Joaquim Roriz (PSC) e Cristovam Buarque (PDT).

Reuters |

O presidente em exercício da Câmara, Cabo Patrício (PT), leu o requerimento da CPI, que contou com a assinatura de 22 dos 24 parlamentares. Os dois que não assinaram estão licenciados.

A eleição de um novo corregedor e a escolha dos integrantes de uma comissão especial que analisará os pedidos de impeachment contra Arruda foram transferidas para quinta-feira, após publicação da nova composição dos blocos partidários.

Deputados distritais foram à tribuna se defender das acusações de recebimento de dinheiro em um esquema que teria a participação do governador Arruda. O caso está sendo investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público.

Eurides Britto (PMDB), que aparece em vídeo colocando dinheiro em uma bolsa, disse só se preocupa com a opinião de Deus.

"Existe uma diferença entre o conceito de caráter e o de reputação... Eu não me importo com a reputação. Eu me preocupo com o que Deus pensa a meu respeito. Não me preocupo com o que ninguém pensa a meu respeito", disse Eurides.

Durante a manhã, manifestantes contra Arruda foram reprimidos pela Polícia Militar enquanto protestavam na praça do Palácio dos Buritis, sede do governo distrital, em Brasília.

Segundo a PM, 1.500 manifestantes participaram do protesto. Militares a cavalo avançaram sobre o grupo e lançaram bombas de gás lacrimogêneo para conter o movimento.

Na véspera, a PM retirou manifestantes pró e anti-Arruda da sede da Câmara Legislativa. Os contrários, que entraram no local na quarta-feira passada, pressionavam pelo impeachment do governador. O Legislativo analisa três pedidos de impeachment contra Arruda.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG