Câmara do DF abre processo de impeachment contra Arruda

BRASÍLIA (Reuters) - A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou por unanimidade nesta quinta-feira a abertura do processo de impeachment contra o governador licenciado José Roberto Arruda (sem partido). O processo foi aprovado por 19 votos. Agora, Arruda terá 20 dias para apresentar sua defesa.

Reuters |

O relator do caso, deputado Chico Leite (PT), terá então 10 dias para redigir um parecer final, que será analisado por uma comissão especial e pelo plenário. Arruda poderá renunciar ao cargo a fim de manter seus direitos políticos até antes do início dessa última votação.

"Hoje, um governador de Estado também mereceu igual tratamento ao de todo cidadão que pratica um ilícito", afirmou Leite após a votação.

"Quando um cidadão comum comete um crime ele é investigado pelo poder público. Com um governador de uma unidade da federação não pode ser diferente", acrescentou.

Citado em suposto esquema de pagamento de propinas, Arruda, ex-DEM, está preso desde o dia 11 de fevereiro por suspeita de ter tentado subornar uma testemunha do caso.

Para o presidente em exercício da Casa, deputado Cabo Patrício (PT), a votação unânime demonstra a possibilidade real de impeachment de Arruda.

"Hoje há uma demonstração com a votação unânime dos parlamentares presentes de que há sim a possibilidade de impeachment do governador Arruda", afirmou.

Antes maioria da Câmara Distrital, aliados de Arruda não conseguiram impedir a abertura do processo de impeachment contra ele.

"Não há base do governo. O governo acabou há muito tempo", disse Cabo Patrício.

(Reportagem de Bruno Peres)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG