Câmara desiste de desvincular corregedoria de 2ª vice-presidência

BRASÍLIA - Numa reunião de líderes da Câmara ficou decidido que o projeto que desvincularia o cargo de corregedor da 2ª vice-presidência não vai ser votado. Em seu lugar, uma comissão para debater o tema vai ser criada. De acordo com o deputado Chico Alencar (RJ), do PSol, partido autor da proposta de desvinculação, fizeram valer uma máxima da política. A de que quando querem que aconteça, se decide, quando não querem, cria-se uma comissão.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Sem a votação do projeto, o cargo de corregedor deve ficar com o deputado ACM Neto (DEM-BA), que até o momento é candidato único à vaga de 2º vice-presidente. O pleito acontece nesta quarta-feira.

Apesar das críticas do PSol, a comissão para debater a desvinculação deve ser instalada na próxima semana. Eles vão poder formular um projeto para separar a corregedoria da 2ª vice-presidência. Caso a matéria venha a ser criada e seja aprovada, a separação só passaria a valer a partir de 2011, na próxima Legislatura.

Corregedoria

O imbróglio em torno da corregedoria da Câmara começou quando o deputado Edmar Moreira, contra a indicação de seu partido, se lançou na disputa pela 2ª Vice-Presidência da Câmara.

Ele concorreu em plenário como candidato avulso, e venceu Vic Pires (DEM-PA), que foi indicado pelo DEM após um acordo, entre 14 partidos, para a divisão dos cargos da Mesa Diretora da Câmara.

Acusado de dever ao INSS e de não ter declarado à Justiça Eleitoral um castelo avaliado em R$ 25 milhões, Edmar ficou insustentável no cargo e renunciou. Pouco antes de sua renúncia, porém, os deputados começaram a discutir a possibilidade de desvincular a corregedoria da 2ª vice-presidência.

    Leia tudo sobre: câmara

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG