Publicidade
Publicidade - Super banner
Brasil
enhanced by Google
 

Câmara de São Paulo aprova projeto polêmico sobre bebedouro em baladas

SÃO PAULO - Aprovado na Câmara Municipal de São Paulo em segunda discussão, um novo projeto de lei que obriga a instalação de bebedouros nas casas noturnas e bares de São Paulo promete reacender a polêmica sobre a medida, defendida por médicos e psiquiatras como forma de evitar a desidratação entre os consumidores da droga sintética ecstasy.

Agência Estado |

O projeto só depende da sanção do prefeito Gilberto Kassab (DEM), que espera análise técnica do Executivo para se pronunciar.

O novo projeto surge um ano após o governador José Serra (PSDB) vetar texto semelhante, do deputado estadual Simão Pedro (PT), sob o argumento de que caberia ao município legislar sobre o assunto.

Apesar de o veto do governador ter sido derrubado na Assembléia Legislativa em novembro do ano passado, a lei dos bebedouros, prevista para ter entrado em vigor no dia 1º de março deste ano, não foi regulamentada e, portanto, não tem aplicação.

Agora a responsabilidade fica no município, como o governo estadual queria. E não é uma norma só para redução de danos entre consumidores de drogas sintéticas. O bebedouro tem de ser disponível para o cliente de qualquer estabelecimento, afirma a vereadora Soninha (PPS), autora da lei em conjunto com Paulo Teixeira (PT), ex-vereador e hoje deputado federal.

A lei vale para os estabelecimentos com capacidade para mais de 500 pessoas. Não acho que será prejuízo para as danceterias oferecer água potável aos freqüentadores, conclui o deputado federal.

Leia tudo sobre: ecastasy

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG