Tamanho do texto

A Câmara de Indenização do vôo 3054 teve o seu funcionamento estendido até o dia 19 de dezembro deste ano. Inicialmente, o atendimento seria suspenso em 23 de outubro, mas o prazo acabou sendo alterado a pedido dos familiares de vítimas do acidente da TAM.

Entre os motivos apresentados por eles estão o tempo necessário para reunir documentos e a espera pelo término das investigações, segundo a defensora pública Renata Tibyriçá.

"É uma prorrogação final", ressaltou Renata, que anunciou a nova data para as famílias neste domingo, em encontro realizado em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Instalada em abril, a Câmara é uma alternativa para a obtenção de indenização por danos morais e materiais sem a necessidade de entrar com ação na Justiça. De acordo com a defensora, até o momento, parentes de 60 vítimas procuraram a Câmara, que tem escritórios em Porto Alegre e na capital paulista. Os familiares de 25 protocolaram os pedidos. Desses, 10 já fecharam acordos e os demais estão em negociação.

Em 17 de julho do ano passado, o Airbus A320, proveniente de Porto Alegre, bateu contra um prédio da TAM Express após tentar aterrissar no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo. Morreram 199 pessoas.