Câmara de BH aprova reajuste para prefeito e secretários

A Câmara Municipal de Belo Horizonte aprovou hoje, em turno único, o projeto de lei (1888/08) que reajusta em 20% o salário do próximo prefeito da capital mineira e também concede aumento para vice-prefeito, secretários municipais e secretários-adjuntos. A proposta, aprovada por 27 votos a favor e quatro contra, passará por redação final e, em seguida, será encaminhada para sanção ou veto do prefeito Fernando Pimentel (PT).

Agência Estado |

Com a medida, a remuneração mensal a ser paga ao prefeito eleito Márcio Lacerda (PSB) passará de R$15,9 mil para R$ 19,08 mil.

Os salários dos secretários e cargos equivalentes saltarão de R$ 9,5 mil para R$ 12,7 mil. Já o vencimento dos secretários-adjuntos passará de R$ 7,7 mil para R$ 10,4 mil. Os reajustes terão impacto de pelo menos R$ 2,6 milhões nos cofres públicos.

Lacerda apoiou o projeto afirmando a importância de salários equiparados ao mercado como forma de atrair profissionais da iniciativa privada para seu futuro governo. Ele chegou a firmar um acordo com o presidente da Câmara Municipal, vereador Totó Teixeira (PR), e membros de sua equipe de transição, para que sua remuneração ficasse congelada nos valores atuais (R$ 15,9 mil).

Um substitutivo foi apresentado com reajuste menor para os outros membros do primeiro escalão. No entanto, vereadores alegaram problemas legais para a manutenção do atual salário do chefe do Executivo, já que os outros vencimentos são proporcionais a ele.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG