Foi diagnosticado o primeiro caso de gripe suína no Congresso. Segundo a assessoria de imprensa da Câmara, uma funcionária que trabalha em sala próxima ao presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP), e que esteve na Argentina, está de licença médica e só deve voltar ao trabalho na próxima semana.

Na segunda-feira da semana passada, a funcionária esteve na Câmara se sentindo mal e procurou o médico. Ao fazer exames, foi constatado o vírus H1N1. De acordo com a assessoria da presidência da Casa, não há mais risco de contaminação, mas funcionária permanecerá mais essa semana em sua residência.

Segundo o Ministério da Saúde, até ontem o Brasil tinha 625 casos de influenza A (H1N1). O Estado de São Paulo responde pelo maior número de infectados, 308, seguido por Minas Gerais e Rio de Janeiro, com 67 e 66, respectivamente. Santa Catarina tinha 46 doentes e Rio Grande do Sul, 40. Apesar de 142 pacientes terem contraído o vírus dentro do Brasil, o ministério considera a transmissão limitada, sem evidências de sustentabilidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.