A Câmara concluiu ontem o primeiro turno da proposta de emenda constitucional que regula a edição de medidas provisórias. O projeto aprovado não limitou a quantidade de MPs, não impôs restrições aos assuntos que podem ser objeto de MP e não mudou a regra de edição de medidas provisórias para créditos extraordinários.

A maior novidade foi o fim do trancamento automático da pauta de votações quando uma MP não é votada em até 45 dias após sua edição. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.