Caloura grávida sofre queimaduras durante trote em SP

Duas calouras da Fundação Educacional de Santa Fé do Sul (a 623 quilômetros de São Paulo) - uma delas grávida - foram internadas com queimaduras causadas por produtos químicos despejados em seus corpos durante trote na noite de segunda-feira. Ontem, passaram por exame de corpo de delito e prestaram depoimento na Delegacia da Mulher, onde foi aberto inquérito.

Agência Estado |

Por causa do ataque, as duas tiveram de ser internadas e medicadas para amenizar dores e sintomas de intoxicação. Grávida de três meses, Priscila Vieira Muniz, de 18 anos, aluna do curso de Análise de Sistemas, deixou o hospital anteontem. Ela teve queimaduras de segundo grau nas duas coxas, nádegas, costas e cotovelo. “Amanhã (hoje) vou fazer uma ressonância para saber se o bebê foi afetado”, disse Priscila. Ela contou que foi atacada do lado de fora, quando deixava a faculdade. “Se a faculdade não expulsar essa aluna, vou processar a escola.”

Outra estudante, Jéssica da Silva Rezende, de 17 anos, aluna de Letras, também foi vítima de trote dentro da faculdade. Depois de ter o corpo banhado de tinta, foi obrigada a participar de uma brincadeira. “Nesse momento alguém jogou o líquido nas minhas costas”, contou. Em nota, a assessoria da fundação lamentou o incidente e informou que proibiu trotes tradicionais nos câmpus. A fundação informou que vai acompanhar o inquérito para adotar medidas cabíveis. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG