Calor pede cuidados especiais com a alimentação

Calor pede cuidados especiais com a alimentação Por Andressa Zanandrea São Paulo, 01 (AE) - Matéria para pacote SUA VIDA de 01/01/09 É difícil resistir àquele peixinho frito com molho tártaro no quiosque da praia. Mas antes de atacar a primeira porção, é preciso ter cuidado: os riscos de infecções intestinais são grandes e, em muitos casos, o sofrimento pode durar até uma semana.

Agência Estado |

Os problemas começam na estrada, na parada no posto de gasolina para reabastecer o carro e as energias. Prefira uma maçã ou uma pêra que levou de casa ou salgadinhos industrializados, para evitar surpresas desagradáveis.

"Com o calor, as bactérias se proliferam mais e a comida estraga mais facilmente", explica a nutricionista Fernanda Alves, do Hospital Samaritano, em São Paulo. Além disso, segundo ela, comer mais fora de casa também ajuda a elevar os índices de infecções intestinais no verão, que chegam a ser o dobro se comparados ao resto do ano. "O alimento pode ser colocado numa travessa mal lavada ou não ser lavado direito."

Até a saudável salada pode esconder males. "Se não conhecer o lugar, evite alimentos que têm de ser bem lavados", diz a endocrinologista Natalie Terasaka, do Hospital Santa Paula, também na capital paulista. Considerada perigosa pelos médicos, a salmonella, uma bactéria, pode se esconder em iguarias como a maionese caseira e musse, que levam ovos crus, e provocar diarréia, febre e vômitos. "Se não for socorrida em um hospital, a pessoa pode morrer, principalmente se for criança, idoso ou gestante", explica a nutricionista.

Para evitar os riscos ao máximo, o melhor mesmo, segundo os especialistas, é tomar um bom café da manhã, resistir aos belisquetes da praia e almoçar em um lugar seguro. Se a fome apertar, o jeito é recorrer a alimentos industrializados ou lanchinhos levados de casa.

Em caso de diarréia, Natalie recomenda beber bastante água. "A maioria dos casos melhora espontaneamente." Mas se houver vômitos e febre, deve-se procurar assistência médica.

Boxe:
VALE A PENA EVITAR
Peixes e frutos do mar
Maionese caseira, molhos e musses
Lanches que tenham salada
Sushi e sashimi
Frituras e comidas gordurosas
Milho verde cozido
Cachorro-quente
Picolés de marcas desconhecidas

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG