Calor faz Sabesp aumentar produção e operar no limite

Com a onda de calor em São Paulo, o consumo de água na capital aumentou consideravelmente, tanto nos imóveis quanto nas ruas. Para atender à demanda, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) elevou a produção em 14,3%, passando de 66,11 milhões de litros por segundo, em fevereiro, para 68,7 milhões de litros em março.

Agência Estado |

Para se ter uma ideia, com esse volume de água uma piscina olímpica pode ser enchida em 38 segundos. “Isso (aumento na produção) é ruim porque estamos com a capacidade de produção no limite. Por outro lado estamos com os reservatórios com um nível de água razoável”, disse o assistente executivo da Sabesp, Milton Seuaciuc.

Ele pediu que os consumidores não tomem nem banhos demorados para evitar racionamento. E as altas temperaturas também afetam o comércio de água mineral. Só na empresa Minalba, a venda de garrafinhas aumentou 345,25% nos primeiros quatro dias do mês em relação ao mesmo período do ano passado. Enquanto em março de 2008 foram compradas 12.852 unidades, este ano a marca alcançou as 57.224 unidades. Apesar de não fornecer dados em números absolutos, a empresa responsável pela produtora da água Crystal informou que houve um crescimento de 12% nas vendas em fevereiro deste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG