BRASÍLIA - A Polícia Rodoviária Federal informou que o número de mortos e feridos nas estradas federais durante o feriado prolongado do dia 1° de maio, Dia do Trabalho, foi menor que o contabilizado em 2007. Entre 0h de quinta-feira (30/04) e a meia-noite de domingo (4/05) foram registrados 1.486 acidentes, que deixaram 63 mortos e 966 feridos.

Na comparação com a operação do ano passado, que também durou quatro dias, houve queda de 21% no número de mortes e de 1% no total de feridos.

Os estados com maior número de acidentes foram: Minas Gerais (223), Rio Grande do Sul (175), Santa Catarina (171), Rio de Janeiro (125) e São Paulo (121). O ranking de mortes foi liderado por Santa Catarina (10), seguido por Rio de Janeiro (9), Minas Gerais (8), Bahia (6) e Pernambuco (5). Com relação ao número de feridos, o topo da lista também ficou com Minas Gerais (141), seguido por Santa Catarina (129), São Paulo (59), Rio Grande do Sul (58) e Bahia (54).

Apesar da queda do total de vítimas fatais, o número de ocorrências de trânsito foi maior 14% que em 2007. "A imprudência dos motoristas não diminuiu, mas os milhares de flagrantes por excesso de velocidade e ultrapassagens indevidas acabaram reduzindo a gravidade dos acidentes", afirmou o Diretor-Geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, inspetor Hélio Cardoso Derenne.

De acordo com a PRF, em comparação com o feriado de Tiradentes, em 21 de abril, houve queda de 19% no índice de acidentes. Foram registrados 1.486 contra 1.835 no feriado anterior. O número de mortos caiu 35% (63 contra 97) e de 20% no total de feridos (966 contra 1.212). 

Infrações de trânsito

Nos quatro dias de operação, 53 mil condutores foram autuados por excesso de velocidade. No total, 80.427 motoristas foram multados pela PRF (aumento de 424%) e 180 flagrados dirigindo embriagados nas rodovias federais.

Leia mais sobre:  acidente  - estradas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.