Cai diferença entre líderes e soma dos demais candidatos nas capitais

BELO HORIZONTE - A nova rodada de pesquisas do Ibope e do Datafolha, divulgada ontem, sinaliza a possibilidade de segundo turno em várias capitais. Em Belo Horizonte, Manaus , São Luís e Aracaju diminuiu a diferença entre os candidatos que lideram as pesquisas e a soma de seus adversários.

Valor Online |

Na capital mineira e na amazonense, a possibilidade de ocorrência ou não de segundo turno está dentro da margem de erro. Apenas em Boa Vista (RR) os líderes nas pesquisas subiram além de três pontos percentuais.

O candidato do PMDB à prefeitura de Belo Horizonte, deputado federal Leonardo Quintão (PMDB), subiu cinco pontos percentuais, alcançando 17% das inteções de voto, segundo a nova rodada de pesquisas do Datafolha divulgada ontem. Márcio Lacerda (PSB), continua na liderança com 41%, mas parou de subir: entre uma pesquisa e outra, oscilou dentro da margem de erro, perdendo um ponto percentual. A candidata Jô Moraes (PC do B) oscilou de 13% para 12%.

Os demais candidatos somam 8%. Com este resultado, Lacerda tem quatro pontos percentuais a mais que a soma de seus concorrentes. O candidato socialista mantém o discurso de que vencerá no primeiro turno, mas na rodada anterior a sua dianteira sobre os demais era de oito pontos percentuais. " O impacto inicial do apoio do prefeito Fernando Pimentel e do governador Aécio Neves ao Lacerda já passou e o eleitor está demonstrando que quer o segundo turno " , disse Quintão.

Do total dos entrevistados, 22% correspondem a votos brancos e nulos ou não souberam em quem votar. Na simulação do segundo turno, Lacerda obteria 52% dos votos e Quintão 29%. Em outro cenário, o candidato socialista ficaria com 57%, contra 25% para Jô Moraes.

Em Manaus, Amazonino Mendes (PTB) perdeu onze pontos percentuais no Ibope, caindo de 58% para 47% epoderá enfrentar segundo turno. Em segundo lugar está o vice-governador Omar Aziz (PMN), apoiado pelo PMDB do governador Eduardo Braga, com 20%. O prefeito Serafim Corrêa (PSB) permanece em terceiro lugar , com apenas 14%. O petista Francisco Praciano conta com 9%. Outros candidatos somam 1%. A diferença a favor de Amazonino em relação a seus oponentes está somente em três pontos percentuais.

O tucano João Castelo também perdeu fôlego em São Luís. Caiu no Ibope de 51% para 45%. A soma de seus adversários pulou de 28% para 36%. O maior crescimento foi registrado por Flávio Dino ( PC do B), que tem o apoio do PT e passou de 7% para 16%. Nos últimos dias, Dino veiculou em seu horário eleitoral gratuito uma mensagem de apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em terceiro lugar está Clodomir Paz (PDT), candidato apoiado pelo prefeito Tadeu Palácio, com 8%, sem alterações em relação a última pesquisa.

Em Aracaju, o prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) perdeu sete pontos percentuais no Ibope, caindo de 48% para 41%, mas seus adversários oscilaram dentro da margem de erro. A soma dos rivais passou de 31% para 34%. Em segundo lugar está Almeida Lima (PMDB), que passou de 19% para 18% e em terceiro lugar Mendonça Prado (DEM), que subiu de 8% para 12%.

Em Rio Branco, o prefeito Raimundo Angelim (PT) recuou de 56% para 51%, e a soma de seus adversários passou de 30% para 36%. O segundo colocado é Sergio Petecão (PMN), com 23%.

O candidato petista à Prefeitura do Recife, João da Costa atingiu 48% das intenções de voto na cidade, o que representa um crescimento em relação ao levantamento anterior, quando possuía 45%, mas dentro da margem de erro de três pontos percentuais para cima ou para baixo. Os números continuam a apontar uma vitória de João da Costa no primeiro turno.

Todos os demais postulantes mantiveram-se dentro da margem de erro em relação à amostragem feita no começo de setembro. José Mendonça Filho (DEM) está com 24% ante 22%. Raul Henry (PMDB) permanece com 9%, mas conseguiu subir para a segunda colocação, já que Carlos Cadoca (PSC) perdeu dois pontos percentuais e tem agora 8%. A queda do candidato pode estar relacionada aos boatos na semana passada de que abandonaria a disputa para apoiar João da Costa.

Em São Paulo, os candidatos variaram dentro da margem de erro. A candidata do PT, Marta Suplicy, manteve 37% e Gilberto Kassab (DEM), 22%. O tucano Geraldo Alckmin (PSDB) estancou sua queda e oscilou de 20% para 22%. Paulo Maluf (PP) e Soninha Francine (PPS) perderam um ponto percentual cada e estão respectivamente com 7% e 3%.

No Rio de Janeiro, o candidato Fernando Gabeira (PV), apoiado pelo PSDB, foi o que apresentou maior crescimento, passando de 8% para 11% e ficando tecnicamente empatado em terceiro lugar com Jandira Feghali (PC do B), que se manteve com 13%. Eduardo Paes (PMDB) manteve a liderança , oscilando de 25% para 26% enquanto Marcelo Crivella (PRB) se mantém em trajetória descendente, passando de 21% para 18%. A eleição em Curitiba não teve alteração. De acordo com o Datafolha, o prefeito Beto Richa (PSDB) passou de 71% para 72%. A petista Gleisi Hoffmann (PT) permaneceu com 15%.

Em Boa Vista, o prefeito Iradilson Sampaio (PSB) passou de 48% para 55% no Ibope e seu principal adversário, Luciano de Castro (PR), permaneceu com 24%. O prefeito de Maceió , Cícero Almeida (PP), poderá se tornar nas capitais o proporcionalmente melhor votado do País. De acordo com o Ibope, Almeida subiu de 80% para 81%.

"(Danilo Jorge e Carolina Mandl | Valor Econômico)"

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG