O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), inaugurou hoje na favela do Batan, em Realengo (zona oeste), a terceira Unidade de Policiamento Pacificadora (UPP) do Estado. A comunidade, onde moram 40 mil pessoas, tornou-se mais conhecida depois que milicianos que a dominavam torturaram uma equipe de reportagem do jornal O Dia que estava no local disfarçada para retratar a suposta atuação de policiais na milícia da favela, no ano passado.

A UPP é subordinada ao 14º Batalhão de Polícia Militar, em Bangu, e tem a missão de manter a paz na comunidade, interagindo com os moradores, e, ao mesmo tempo, garantir a ordem e o cumprimento da lei. Na inauguração, o governador garantiu que as ações do governo em segurança não têm retrocesso. "São pontos de exploração econômico-financeira muito fortes. Mas eles podem ter certeza que não vamos abaixar a guarda em momento algum", disse.

A unidade funcionará com 55 policiais, dos quais 40 recrutas recém-formados, inclusive com noções de policiamento comunitário, pelo Curso de Formação de Praças da PM, em Sulacap, zona oeste do Rio. As outras duas UPPs já instaladas são no Morro Dona Marta, em Botafogo (zona sul), e na Cidade de Deus (zona oeste), que, segundo o governador, já estão livres do tráfico de drogas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.