Cabral diz não ter interesse em ser vice de Dilma

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), rejeitou mais uma vez a ideia de concorrer à vice-presidência ao lado da pré-candidata do partido à sucessão presidencial, ministra Dilma Rousseff. Descarto completamente.

Agência Estado |

Sou candidato à reeleição do governo do Rio de Janeiro." Durante encontro com integrantes do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), na capital paulista, o governador foi questionado sobre seus planos eleitorais. Ao responder que tentaria mais um mandato, foi aplaudido.

Apesar da crise econômica mundial, o governador disse não enfrentar problemas com a receita do Estado, que cresceu nesses primeiros quatro meses do ano. Segundo Cabral, o aumento real da receita de janeiro a abril foi de 3,5%. De abril de 2008 para abril deste ano, o crescimento real foi de 8%. A meta de Cabral é encerrar 2009 com orçamento de R$ 47 bilhões. "A nossa receita continuou aumentando, em todos os meses da crise", disse. "Graças a Deus o Estado está indo bem." Além da ajuda divina, o governador atribuiu o desempenho à atuação de sua equipe econômica e a cortes de gastos.

Polêmicas

Cabral fincou posição a respeito da polêmica construção de muros para separar 13 favelas cariocas de áreas de preservação ambiental. Segundo o governador, os ecolimites preservariam as benfeitorias feitas pelo Estado e impediriam a expansão da comunidade para a área de mata. "Vamos derrubar o muro do esquecimento e do preconceito. E fazer o muro da preservação."

O governador insistiu ainda em barrar voos nacionais de aviões de grande porte no Aeroporto Santos Dumont. Para Cabral, a mudança diminuiria a procura pelo Aeroporto Internacional Galeão Tom Jobim, o que, em última análise, poderia comprometer os planos do governador de conceder o aeroporto à iniciativa privada. "Não quero esvaziar o Galeão, senão quebra."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG