O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), confirmou 25 mortos e dez desaparecidos em consequência das chuvas no Estado. Ele pediu aos moradores que não saiam de casa ou dos lugares onde se encontram e evitem transitar pelas ruas.

"Está chovendo no Rio em um dia o que chove em um mês", afirmou. Ele disse que "possivelmente" decretará estado de emergência.

"Como disse o prefeito Eduardo Paes, as pessoas não devem sair de casa e os que não estão conseguindo chegar ao trabalho devem ter calma. O momento é sério, momento de ter serenidade", afirmou Cabral, ao chegar ao hotel Copacabana Palace, zona sul da capital fluminense, onde tem, pela manhã, um rápido encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo Cabral, é importante manter as vias públicas livres para o trabalho da Defesa Civil e de outros órgãos que atuam no resgate de pessoas atingidas. Ao contrário do que estava previsto, ele não vai acompanhar o presidente em reunião que acontecerá ainda pela manhã na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O governador disse que continuará em contato com as autoridades estaduais responsáveis pelo atendimento das famílias atingidas.

Além da capital do Estado, disse o governador, a situação é grave em municípios como Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e parte da Região dos Lagos. Cabral confirmou também que, no sistema ferroviário, o ramal de Saracuruna está parado desde ontem por conta de alagamentos. "O procedimento deve ser o mesmo que acontece em tantas cidades onde há calor excessivo ou nevascas e grandes tempestades."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.