Cabral amplia aliança para isolar Garotinho no Rio de Janeiro

Na tentativa de isolar o ex-aliado Anthony Garotinho, que pretende disputar o governo do Rio de Janeiro pelo PR, o governador Sérgio Cabral (PMDB) negocia a formação de uma chapa muito mais ampla que a de 2006, quando foi eleito para o primeiro mandato.

Agência Estado |

Adversários do peemedebista no primeiro turno da eleição passada, PT, PSB e PCdoB estarão na aliança pela reeleição de Cabral. O governador tenta atrair ainda o PDT e deverá manter a parceria anterior com PP e PTB.

Cabral também tem a seu lado outro ex-adversário, o prefeito Eduardo Paes, que disputou o governo em 2006 pelo PSDB, mas migrou para o PMDB no ano seguinte. Paes é hoje um dos mais próximos aliados do governador e terá papel importante na campanha da capital fluminense.

No plano nacional, a ação do governador busca se firmar como o principal aliado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da pré-candidata à Presidência, a ministra da casa Civil, Dilma Rousseff. No carnaval, Cabral expôs sua contrariedade com o fato de Dilma ter se aproximado de Garotinho, que também apoia a ministra, e chamou a atenção para os riscos do palanque duplo no Rio. A intenção de Cabral é reproduzir no Estado a disputa nacional entre o PT de Dilma e o PSDB do governador José Serra.

"Vamos montar um palanque muito mais forte nesta eleição. Haverá no Rio a mesma polarização nacional. Em eleições presidenciais, as disputas estaduais ficam em segundo plano. Cabral está conseguindo trazer praticamente todos os partidos que estão com Lula e Dilma", diz o vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: Eleições 2010

    Leia tudo sobre: eleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG