Cabo envolvido no caso João Roberto é expulso da PM

O cabo William de Paula, um dos policiais envolvidos na morte do menino João Roberto, foi expulso da Polícia Militar. A decisão unânime da comissão que atuou no processo administrativo disciplinar foi publicada no boletim da corporação na última sexta-feira.

Agência Estado |

O advogado do cabo vai recorrer.

João Roberto, de 4 anos, estava no carro da mãe, quando policiais confundiram o veículo com o de assaltantes e fizeram disparos, em 6 de julho do ano passado. Um dos tiros atingiu a criança na nuca. De Paula foi julgado no mês passado e absolvido pelo 2º Tribunal do Júri. Durante o julgamento, o cabo reconheceu que confundiu o carro dos criminosos com o veículo em que estava João Roberto.

Ele foi absolvido porque os jurados entenderam que o PM não tinha a intenção de matar a criança. Como os jurados só decidem a respeito de crimes contra a vida, o juiz Paulo Lanzellotti condenou o PM a dois anos de prisão pelo crime de lesão corporal sofrido pela mãe do menino, Alessandra Soares. O Ministério Público recorreu da absolvição.

O advogado José Maurício Neville, que defende De Paula, pretende ingressar ainda hoje com uma ação declaratória de nulidade absoluta de ato administrativo, na Vara de Fazenda Pública. De acordo com o advogado, a legislação determina que, para ser expulso da corporação, um policial tenha sido condenado a mais de quatro anos de prisão.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG