Uma pesquisa do Instituto Butantã com molécula isolada da saliva do carrapato conseguiu provocar a regressão de tumor cancerígeno em camundongos. O estudo, premiado em conferência internacional na cidade de Boston, EUA, foi conduzido pela pesquisadora Ana Marisa Chudzinski-Tavassi.

Os resultados foram positivos nos testes in vitro - com uma cultura de células cultivadas em laboratório - e in vivo - com roedores, cujo quadro de câncer regrediu sob efeito da substância vinda do carrapato. A molécula apresentou efeitos anti-coagulantes, restabelecendo os parâmetros normais do sangue. O próximo passo do estudo é completar o entendimento do mecanismo pelo qual a molécula destrói células de tumores, sem afetar as células normais. O Instituto Butantã é um órgão da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.