Um busto de Julio César elaborado quando ainda era vivo e recentemente encontrado no rio Ródano em Arles, cidade do sul da França da qual o líder romano foi o fundador, representa uma descoberta que faz parte do patrimônio mundial, explica o arqueólogo Luc Long que liderou os trabalhos.

"É o único busto conhecido de César vivo, a não ser a máscara de Turim elaborada pouco antes ou logo depois de sua morte, e é o mais antigo", declarou à AFP Luc Long, 55 anos, diretor do setor de Restauração do Patrimônio do Departamento de Pesquisas Arqueológicas Subaquáticas e Submarinas (Drassm), ligado ao Ministério da Cultura.

"Mesmo em Roma, nunca foi encontrada uma imagem de César vivo", acrescentou o arqueólogo que procura por resquícios da cultura romana no Ródano há vinte anos. "Até hoje, havia de 20 a 25 imagens de César, se eliminarmos as feitas durante o Renascimento, e elas são essencialmente póstumas".

A descoberta foi anunciada na terça-feira à noite, mas o busto em mármore foi encontrado por um membro da equipe durante uma busca realizada de agosto a outubro de 2007 na margem direita do rio.

Dezenas de objetos foram retirados do rio: uma coluna coríntia em mármore e uma estátua de Netuno esculpida no século III depois de Cristo. As peças deverão ser expostas em setembro de 2009 no Museu de Arles.

lch/dm/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.