BRASÍLIA - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse hoje ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por telefone, que os primeiros efeitos do pacote de ajuda ao sistema financeiro norte-americano devem ser sentidos em duas semanas e meia.

Bush disse que os Estados Unidos foram atingidos pela crise num "momento de declínio de suas atividades econômicas", de acordo com fontes do Palácio do Planalto.

O presidente norte-americano telefonou para Brasília às 14h10, retornando ligação que Lula fez a ele no último fim-de-semana. Lula parabenizou o colega pela aprovação do pacote e afirmou que a medida é um passo para o reequilíbrio da economia dos Estados Unidos.

O presidente Lula disse que o Brasil encontra-se num momento de solidez, o que fez o país estar mais preparado para enfrentar crises.

Ainda conforme as fontes do Planalto, Bush concordou com Lula e afirmou "que o Brasil tem uma plataforma sólida para enfrentar a crise devido aos bons fundamentos da economia".

Lula defendeu, mais uma vez, a necessidade de adoção de mecanismos de controle do mercado financeiro e a conclusão de um acordo na Rodada Doha.

Segundo o presidente, esse acordo seria um sinal forte e positivo para reduzir os efeitos da crise financeira na economia mundial.

Ao final do telefonema, Lula convidou Bush para participar de uma conferência internacional sobre biocombustíveis que será realizada no mês que vem, em São Paulo, mas o presidente norte-americano não confirmou presença, argumentando que precisa acompanhar o desenrolar da crise.

(Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.