Operação deve ser retomada amanhã e esvaziamento de lago será avaliado

Foram suspensas no final da tarde desta segunda-feira as buscas pelo possível corpo de Eliza Samudio, de 25 anos, na Lagoa Suja, em Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). Desde as 9h, policiais civis e homens do Corpo de Bombeiros vasculharam a área, mas nada foi localizado. Cães farejadores auxiliaram a operação.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, há a possibilidade de as buscas serem retomadas nesta terça-feira. Pela manhã, foi divulgado que alguns objetos tinham sido encontrados na lagoa, entre eles uma fralda dentro de um saco plástico. A informação, no entanto, foi desmentida pelos bombeiros. A corporação avalia agora a possibilidade de esvaziamento do lago para facilitar a realização de buscas.

Bombeiros buscam possível corpo de Eliza em lagoa de Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de Belo Horizonte
AE
Bombeiros buscam possível corpo de Eliza em lagoa de Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de Belo Horizonte

No último domingo, os agentes estiveram no local após uma denúncia anônima que apontava o lago como a área onde o corpo da jovem teria sido abandonado. Eliza está desaparecida há quase um mês e a polícia acredita que ela possa ter sido assassinada. O goleiro Bruno, do Flamengo, é considerado um dos suspeitos.

A Lagoa Suja fica perto da casa de funcionários do sítio de Bruno e é conhecida na região por ser usada por criminosos para abandonar a carcaça de carros e motos roubados. No domingo, policiais da Delegacia de Roubos do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri) só puderam vasculhar por 80 minutos as margens da lagoa por falta de instrumentos e barcos. Eles chegaram a usar uma vara de pescar. Segundo assessoria do Depatri, o chefe da equipe acredita que o corpo pode ter sido amarrado a pedras ou perfurado e estar no fundo da lagoa.

Tentativa de aborto

A contraprova do exame realizado na urina de Eliza para descobrir se ela tomou substâncias abortivas deve ficar pronto somente nesta terça-feira. Na quinta-feira (1), o primeiro resultado deu positivo. Bruno é suspeito em inquérito que corre na Delegacia de Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro, de obrigar Eliza a abortar o bebê que seria dele. A jovem chegou a registrar queixa por agressão contra o goleiro. Bruninho tem hoje quatro meses e está sob a guarda do avô materno em Foz do Iguaçu.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro vai investigar a demora de oito meses no resultado do exame de urina feito por Eliza. Em outubro do ano passado, quando estava com cinco meses de gravidez, a jovem relatou à polícia que Bruno e alguns amigos dele a teriam forçado a ingerir remédios abortivos.

Bruno quebra o silêncio

O goleiro Bruno quebrou o silêncio na última quinta-feira (1) e afirmou a jornalistas que está sofrendo com o desaparecimento de Eliza. Na ocasião, Bruno realizou atividades físicas no Centro de Treinamento Ninho do Urubu, em Vargem Grande, zona oeste do Rio.

O atleta foi afastado do elenco do Flamengo pela presidente Patrícia Amorim por tempo indeterminado e não viajou com os outros jogadores para Itu, no interior de São Paulo, onde está sendo realizada a intertemporada durante a pausa do Campeonato Brasileiro para a Copa do Mundo.

Bruno afirmou que está torcendo para que a jovem, com quem mantinha um relacionamento extraconjugal, apareça e resolva toda a situação. O atleta classificou de “constrangedor” o momento pelo qual está passando, em que é suspeito pelo desaparecimento da jovem.

Goleiro Bruno quebra silêncio e fala com jornalistas no Rio
AE
Goleiro Bruno quebra silêncio e fala com jornalistas no Rio

“É meio constrangedor. Mas Deus sabe o que faz. Estou torcendo muito para que ela possa aparecer e resolver logo essa situação. É muito chato e eu estou sofrendo com isso. Eu vi a entrevista do pai dela. Eu quero que ela apareça”, afirmou a jornalistas. Bruno disse ainda que a última vez que viu Eliza foi há dois ou três meses. “Eu estive com ela, não sei dizer muito bem, foi a uns dois ou três meses atrás quando fui conhecer a criança”.

O jogador se esquivou de algumas perguntas, alegando ter sido orientado pelo advogado Michel Assef Filho a não fornecer informações sobre o caso. Questionado sobre o bebê, ele disse que foi o amigo, conhecido como Macarrão, que levou o filho de Eliza até sua residência em Belo Horizonte. “Quem trouxe a criança para o meu sítio foi o Macarrão, então ele pode responder melhor do que eu”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.