Buscas a desaparecido no Guarujá recomeçam amanhã

Continua desaparecido o homem que trabalhava no conserto de uma balsa que sofreu uma explosão ontem no Guarujá, na Baixada Santista. Os bombeiros interromperam as buscas ao anoitecer e vão recomeçar na manhã de sábado.

Agência Estado |

A outra vítima, que teve 80% do corpo queimado, continua hospitalizada em estado grave.

O acidente ocorreu às 14h08 no Estaleiro Sudeste, no bairro da Prainha. Três funcionários realizavam reparos na balsa FB24 da Dersa quando algo explodiu no porão da embarcação.

O ajudante geral Luciano Silva Prado, de 33 anos, foi jogado ao mar com o impacto da explosão e o operário Silvio Montenegro, de 27 anos, teve 80% do corpo queimado e está internado na UTI da Santa Casa de Santos em estado grave. Uma terceira vítima, um operário de nome Gilson, teve ferimentos leves, foi atendido no local e dispensado.

Dez bombeiros mergulhadores realizaram as buscas por Prado durante toda esta sexta-feira, com o auxílio de uma lancha e um bote inflável.

A Capitania dos Portos instaurou inquérito para apurar o acidente. Em nota, A Dersa informou que os danos causados na embarcação com a explosão foram considerados leves e que a balsa deverá voltar a operar em dezembro.

A balsa é a mesma que foi atingida pelo navio chinês Zen Hua 27 em 23 de julho. Na ocasião, embarcação FB 24 foi atingida quando estava atracada, porém já lotada e prestes a atravessar para Santos, causando pânico aos usuários. O Zen Hua 27, por sua vez, é o mesmo navio que havia se chocado com o navio Amalthia, que o abastecia de combustível, durante uma tempestade em 4 de maio.

Desgovernado, o navio avançou contra o cargueiro liberiano Kyla, atracado no cais do Terminal de Granéis do Guarujá (TGG). O impacto originou um rasgo no casco e amassou parte da proa do Zen Hua 27, destruiu parte da popa do Kyla e ainda causou danos ao terminal.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG