Busca para largar vício cresce em classes A e B, diz secretaria de SP

Um aumento de 139,5% no número de usuários de crack e cocaína que possuem renda superior a 20 salários mínimos e que buscam o sistema público de saúde para largar o vício foi registrado, entre 2006 e 2008, em um levantamento da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Foram 152 atendimentos em 2006 contra 388 no ano passado.

Agência Estado |

Há três anos, o número de pessoas que procuraram os serviços para abandonar a cocaína e o crack foi de 1.538. A idade média girava em torno dos 30 anos e apenas 12% eram das classes A e B, segundo a secretaria. No ano passado, o número geral de pacientes aumentou 71%, atingindo 2.638 pessoas, sendo 15% das classes A e B. A idade média dos usuários caiu para 29 anos. A maioria dos que procuram atendimento é do sexo masculino: 76% do total.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG