O buraco na camada de ozônio sobre a Antártida é o quinto maior da história, revelam as imagens feitas este ano pela Agência Aeroespacial Americana (Nasa, por suas iniciais em inglês). A extensão do buraco atingiu 27,2 milhões de quilômetros quadrados e, segundo o cientista atmosférico Paul Newman, da Nasa, ele encontra-se atualmente moderadamente grande.

A Nasa acompanha o tamanho do buraco na camada de ozônio há 30 anos. No ano passado, o rombo atingiu 25,12 milhões de quilômetros quadrados, equivalente ao tamanho da América do Norte. A camada de ozônio bloqueia a ação dos raios ultravioleta do sol. O buraco normalmente forma-se em agosto e alcança seu tamanho máximo entre setembro e outubro antes de encolher.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.