Brinco é peça chave na composição do visual

Brinco é peça chave na composição do visual Por Marcela Rodrigues Silva São Paulo, 18 (AE) - Sair de casa sem brincos é sair nua. A máxima - aparentemente exagerada - faz parte da vida de muitas mulheres, ao menos das vaidosas.

Agência Estado |

Especialistas em consultoria de imagem garantem que o brinco é peça-chave na composição de um look. Grande ou pequeno, ele tem o poder de ressaltar ou destruir um visual. Para não errar no momento da escolha do par, a consultora de estilo Titta Aguiar indica que, além do estilo pessoal, a geometria do rosto também precisa ser respeitada, bem como os detalhes da roupa e os outros acessórios.

"As peças precisam conversar entre si. Um brinco grande fica bem com um colar discreto. Já se for mais delicado ou pequeno, possibilita ousar na área do colo, com colares ou blusas mais estampadas e aplicações", explica a coordenadora do curso de produção joalheira do Instituto Europeu de Desenho (IED) São Paulo, Janiene Santos. "Só não pode combinar demais. Conjuntos estão fora de moda", dispara Titta.

Se a dúvida é a tonalidade - prata, dourado ou colorido -, a consultora Titta ainda ensina um truque: "Encoste cada peça em um lado do rosto, na altura das maçãs. A que iluminar a face é a ideal", completa.

BOXE

CONFIRA OS MODELOS DE BRINCOS:

ARGOLA - Que mulher não tem uma argola no porta-joias? Peça curinga, este modelo povoa todas as estações, nos mais diferentes estilos: básico, sofisticado - com pedras ou penduricalhos, finas ou grossas, em prata ou dourado. São os rostos quadrados, aqueles com o maxilar proeminente, que melhor se harmonizam com as argolas, principalmente as de forma oval.

GOTA - O modelo em gota aparece nos mais diversos tamanhos e materiais. Por causa do formato mais fino em cima e aberto na parte de baixo, cai bem nos rostos com geometria triangular. "O brinco em forma de gota equilibra a geometria do rosto de quem tem a testa mais larga e o queixo pontudo. Pois dá a sensação de encher a parte do queixo", explica Titta.

PENDENTE - Modelos pendentes são sensuais devido ao movimento. Os maiores e volumosos ficam melhor em faces ovais. Se forem mais compridos e estreitos, se tornam o par perfeito de rostos arredondados. Geralmente têm pedras e brilho, o que confere luminosidade à face. "Uma peça com strass, por exemplo, tem o poder de levantar uma expressão abatida", afirma Titta.

PEQUENO - Se a ideia é ousar no colar ou em um acessório de cabelo, o brinco pequeno é a melhor companhia. São delicados e não saem da moda. Podem ser clássicos, mas também modernos, se forem em formas geométricas e atemporais. Com um brinco pequeno não há erro. A peça pequena é indicada para todas as ocasiões, das mais esportivas às sociais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG