O interrogatório de Humberto José da Rocha Braz ao juiz Fausto Martin de Sanctis, na 6ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo, foi muito curto e não durou mais do que meia hora. De acordo com o procurador da República Rodrigo De Grandis, que também estava presente ao interrogatório, Braz não falou nada durante o depoimento.

Braz, que segundo as investigações é acusado pela Operação Satiagraha da tentativa de suborno de US$ 1 milhão a um delegado da Polícia Federal, exerceu o direito de permanecer em silêncio durante o interrogatório.

Antes mesmo do início do interrogatório de hoje, a defesa de Humberto Braz já havia informado que ele tinha sido orientado a não responder as perguntas. Os advogados de defesa de Braz destacaram que a acusação (a seu cliente) está fundamentada num áudio de qualidade ruim da conversa gravada com a suposta tentativa de suborno ao delegado da PF. Os advogados de Braz querem a transcrição dessa conversa para orientar seu cliente no depoimento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.