O governo distribuiu 406 milhões de camisinhas em 2008. Apesar do número recorde, o Ministério da Saúde considera que esse montante é incapaz de atender toda a população e alerta que o brasileiro ainda precisa criar o hábito de usar o preservativo.

O diretor-adjunto do Programa Nacional de DST/aids, Eduardo Barbosa, explicou que a distribuição feita pelo governo tem foco em grupos de risco específicos, mas que a orientação é que todos procurem se prevenir. "As pessoas precisam criar o hábito de usar a camisinha e podem adquirir (o preservativo) em farmácias populares, a preços mais baratos", disse Barbosa, segundo informações da Agência Brasil.

De acordo com ele, a camisinha é, atualmente, o mecanismo mais eficiente para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e também para o planejamento familiar, mas não é 100% segura.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.