Brasileiro é preso com 60 mil comprimidos de drogas no Rio

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O universitário brasileiro José Luiz Aromitz foi preso na quarta-feira ao desembarcar no aeroporto internacional do Rio de Janeiro com cerca de 60 mil comprimidos de drogas sintéticas, como LSD e ecstasy. A apreensão está sendo considerada uma das maiores da história da Polícia Federal no aeroporto do Rio.

Reuters |

'É algo muito expressivo. Trata-se de uma apreensão que está sendo avaliada em muito mais de dois milhões de reais', disse à Reuters o titular da delegacia do Galeão, delegado Paulo Falcão.

'É uma das maiores apreensões que já fizemos', completou ele.

Segundo a Polícia Federal, o jovem de 26 anos trazia na bagagem 41 mil comprimidos de ecstasy, 17.500 selos de LSD e 350 gramas de skank.

'Normalmente, nossas apreensões aqui são menores e é gente que tenta embarcar ou desembarcar com quantidades menores, às vezes, até no estômago. Igual a essa eu nunca vi', acrescentou o delegado, que está há quatro meses no aeroporto, mas segundo ele, 'conversas com colegas mais antigos' confirmam a tese.

Aromitz embarcou em Amsterdã, e o vôo da companhia Air France fez escala na cidade de Paris antes de chegar ao Rio.

Ele foi indiciado por tráfico internacional de drogas, que prevê um pena de no mínimo 15 anos de reclusão.

A PF suspeita que a droga seria vendida em bares, boates e festas raves na cidade. 'Ele é um rapaz de classe média alta e o público consumidor pode ser esse', afirmou Falcão, que já vinha monitorando o traficante.

'Nós temos procedimentos como analisar o tempo de estada de uma pessoa em um determinado local. O perfil dele já estava sendo analisado assim como o de outros passageiros. Nós desconfiamos quando as viagens são muito intensas e o tempo de permanência é curto', afirmou o delegado.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG