Brasileira acusada de matar filha fica em silêncio

A brasileira Simone Moreira, de 23 anos, acusada de jogar a filha Giuliana Favaro no rio Monticano, na Itália, optou pelo silêncio hoje e preferiu não se pronunciar ante o juiz Umberto Donà, da cidade de Treviso, que conduziu o interrogatório. Simone está detida desde o dia 5 no presídio de Belluno, nordeste da Itália.

Agência Estado |

No final da noite do dia 2, o corpo de Giuliana Favaro, de dois anos e meio, foi encontrado nas águas do rio Monticano, na cidade de Oderzo, no Vêneto (nordeste da Itália).

Simone disse que a menina caiu no rio em um momento de distração, quando as duas tomavam sorvete em Oderzo, mas foi acusada de homicídio doloso, a partir de contradições em seus depoimentos.

Simone Moreira foi casada com um italiano, Michele Favaro, e tem cidadania italiana. Nesta tarde foram celebrados os funerais da pequena Giuliana na cidade de Ponte di Piave, onde vive seu pai e onde ela vivia com a mãe. Centenas de pessoas compareceram ao serviço religioso na paróquia de Ponte di Piave.

As informações são dos sites dos jornais italianos Il Gazzettino e Corriere del Veneto.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG