Brasil vai monitorar alimentos vindos do Japão

Objetivo é evitar a entrada de produtos contaminados no País, após vazamento de material radioativo em Fukushima

iG São Paulo |

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) anunciaram nesta quinta-feira, 31, que os alimentos importados do Japão vão passar por análise para verificar se não contêm níveis de radiação acima dos limites permitidos. O objetivo é evitar a entrada de produtos contaminados no Brasil, após o vazamento de material radioativo na usina nuclear de Fukushima, em consequência do terremoto seguido de tsunami no dia 11 de março.

Os fiscais da Anvisa vão coletar amostras dos alimentos e enviá-las aos laboratórios que integram a rede da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), localizados no Rio de Janeiro e em São Paulo.

A carga ficará retida nos portos e aeroportos e liberada somente depois do aval da comissão. Não foi estipulado prazo para o resultado da análise laboratorial. Segundo a gerente de Alimentos da Anvisa, Denise Resende, a avaliação deve ser rápida.

Outra medida prevê que os produtos alimentícios de 12 províncias próximas à Usina Nuclear de Fukushima Daiichi, onde ocorreu o vazamento de material radioativo, deverão vir com um certificado comprovando exame e liberação por parte da autoridade sanitária japonesa.

A exigência de declaração para importação de alimentos será implementada a partir de segunda-feira (4/4), após a publicação no Diário Oficial da União.

Denise Resende afirmou que a chance de um alimento contaminado por radiação chegar ao Brasil é baixa. Segundo ela, o país compra poucos alimentos de origem japonesa. A maioria é formada de massas para a fabricação de produtos de padaria, pastelaria e biscoitos. “O governo japonês já proibiu a exportação [de produtos da região de Fukushima]. A quantidade que vem para o Brasil é pouca”, disse.

A gerente informou ainda que a última importação a chegar ao Brasil, de massa alimentícia para padaria e pastelaria, tem data anterior ao dia 11, quando ocorreu o terremoto. A Anvisa vai reforçar também a fiscalização nas bagagens de passageiros vindos do Japão para evitar a entrada de alimentos. Nos aviões, serão emitidos avisos pelo sistema de som alertando os passageiros que é proibido ingressar no Brasil com comida proveniente de outro país.

* Com Agência Brasil

    Leia tudo sobre: alimentosanvisabrasilradiaçãojapão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG